10/04/2018

Cármen Lúcia no planalto, auxílio-moradia, guaranis e kaiowá

A vice do vice do vice do ex-vice

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, assumirá a Presidência da República nesta sexta feira 13. O presidente Michel Temer estará no Peru e seus substitutos imediatos – o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira – não querem ocupar o posto, o que os tornaria inelegíveis a qualquer cargo no próximo pleito eleitoral. A solução adotada? Maia vai para o Panamá e Eunício viaja para o Japão. Cármen Lúcia ficará no cargo até sábado, dia 14.

Quer sugerir algum decreto para a futura presidente?
presidencia@stf.jus.br

O custo do auxílio-moradia para assessores do STF

O Poder360 fez um levantamento de quanto os assessores de ministros do STF ganharam em auxílio-moradia nos últimos anos. Chegou a 1,2 milhões de reais – soma do valor recebido por 36 servidores no período entre setembro de 2016 e março de 2018 (em média, cada assessor ganhou cerca de 3 mil reais por mês). O ministro Luiz Fux, que estendeu o auxílio-moradia a toda a magistratura quatro anos atrás, retirou o tema da pauta do plenário, no último dia 21 de março. Agora, o penduricalho não será debatido sob os holofotes, com transmissão pela TV Justiça. Em vez disso, a discussão vai ocorrer no âmbito de uma câmara de conciliação a ser instalada pela Advocacia-Geral da União.

Quer falar com o ministro Fux?
gabineteluizfux@stf.jus.br

Quer assinar petição da Avaaz contra o auxílio-moradia?
Acesse aqui

STF suspende despejo de acampamentos Guarani e Kaiowá

Na manhã desta segunda-feira, 200 policiais, em 50 viaturas e dois helicópteros estavam a postos no entorno das reservas indígenas Guarani e Kaiowá, em Caarapó (MS), para retirar as famílias do local. A operação foi abortada em cima da hora, por uma decisão emergencial, proferida durante a madrugada pela presidente STF, a ministra Cármen Lúcia. A liminar atendeu a um pedido da Fundação Nacional do Índio, a Funai, que questionava a reintegração das terras ocupadas pelos indígenas desde o ano passado.

Quer assinar petição pela permanência dos índios no local?
Acesse aqui

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais. Funcionou entre março e agosto de 2018. Voltará em novembro.