27/07/2018

Especial de sexta: Memenews + Greenpeace

Lei de Newton contra a Lei de Gerson

Diz uma das leis de Newton que toda ação resulta numa reação. A ação é o poder crescente da bancada ruralista, que no mês passado aprovou em comissão especial o PL do Veneno – o famoso projeto de lei que tenta abrir caminho para o registro de novos agrotóxicos, vários deles proibidos na Europa. Já a reação é a instalação recente de outra comissão especial – essa para analisar o PL que cria a Política Nacional de Redução dos Agrotóxicos. No começo do mês, a comissão apresentou um relatório do Tribunal de Contas da União, mostrando que o Estado deixou de arrecadar R$ 6,8 bilhões entre 2011 e 2016 por conta de isenções fiscais concedidas a produtores de agrotóxicos. A intenção é reverter parte da renúncia fiscal para financiar projetos de agricultura sustentável.

Quer saber mais?
Leia a reportagem do Greenpeace sobre a importância de haver uma política de redução dos agrotóxicos

Quer pressionar?
Assine a petição em favor da Política Nacional de Redução de Agrotóxicos

Quer opinar?
Escreva para o presidente da comissão, Alessandro Molon (PSB-RJ)
dep.alessandromolon@camara.leg.br

Foco na foca

Pesquisadores estimam que 8,3 bilhões de toneladas de plástico já foram produzidas em todo o mundo. O problema? O plástico não é biodegradável, podendo levar mais de mil anos para se decompor. A vida marinha é especialmente prejudicada: pedaços grandes podem estrangular mamíferos (como focas e leões marinhos); pedaços pequenos podem ser ingeridos por peixes (que depois podem ser ingeridos por nós, humanos). Recentemente, uma expedição do Greenpeace encontrou microplásticos na água e na neve da Antártida – território mais inóspito da Terra. Um estudo divulgado em 2016 pelo Fórum Econômico Mundial de Davos afirmou que os oceanos terão mais plástico do que peixe em 2050.

Quer saber mais?
Assista à edição do Greg News sobre plástico

Quer proteger a Antártida?
Assine o documento pela criação de um santuário no oceano antártico

Quer diminuir seu consumo?
Acesse a campanha #AcabeComAPoluiçãoPlástica, da ONU

Churrasco indigesto

O consumo de carne não é um tema que deve preocupar apenas os vegetarianos. Isso porque a superpopulação mundial de bois e vacas (só no Brasil são abatidos 30 milhões por ano) emite tanto gás de efeito estufa quanto todos os navios, caminhões, carros e aviões. Um relatório recente da ONU mostrou que as emissões da indústria de proteína animal precisam ser controladas para que a meta internacional de aquecimento global não seja comprometida. Outro relatório, do Greenpeace, afirmou que o consumo mundial de laticínios e carne precisa ser reduzido pela metade até 2050. Partiu churrasco de melancia?

Quer saber mais?
Entenda como a maneira de se alimentar pode ser um ato político

Quer se jogar no estilo Bela Gil?
O Greenpeace e o Medium publicaram uma série chamada “Receitas Para um Mundo Saudável

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais. Funcionou entre março e agosto de 2018. Voltará em novembro.