21/06/2018

Pais e filhos (e Trump)

Muros invisíveis

Ele prometeu que iria construir um muro na fronteira. E está cumprindo. As paredes invisíveis da política de imigração do governo Trump já separaram 49 crianças brasileiras dos pais, que tentaram entrar no país ilegalmente. As crianças estão em abrigos enquanto seus responsáveis se encontram presos. A repercussão internacional foi tão grande que levou o presidente a assinar um decreto, ontem, para manter famílias unidas na fronteira com o México. Desde que a política de tolerância zero entrou em vigor, no dia 7 de maio, quase 2 mil crianças foram separadas de seus responsáveis.

Quer saber mais?
Assista reportagem do G1

Quer entender melhor o caso?
O jornalista Clóvis Rossi compara a política de Trump ao nazismo

Quer cobrar do Itamaraty providências?
Escreva para o Ministério das Relações Exteriores

O cão nosso de cada dia

A votação foi apertada: 3×2. Em decisão inédita, o Superior Tribunal de Justiça garantiu a um ex-cônjuge o direito de visitar seu cachorro após separação do casal. Com isso, o tribunal manteve a decisão do TJ-SP, que havia decidido pela guarda compartilhada em finais de semana, feriados e também em certas datas festivas, como réveillon e Natal. Por fim, o STJ também determinou que o “pai” deve participar em atividades importantes da vida do animal, como idas ao veterinário. A decisão não tem efeito vinculante – ou seja, não vale para casos parecidos.

Quer saber mais?
Leia a notícia no site do Jota

Raio-x nas penitenciárias

O plenário do Supremo deve votar, em breve, se a revista vexatória – aquela feita nas partes íntimas das pessoas que visitam presidiários – fere os princípios constitucionais da dignidade e intimidade. O tema também tem sido debatido na Câmara, onde tramita um projeto de lei que determina a instalação de aparelhos de raio-x nos presídios, de forma a dar fim à prática. O PL foi aprovado, no mês passado, na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Segue agora para análise da CCJ.

Quer saber mais?
Leia a notícia no site do STF

Conheça a campanha pelo fim da revista vexatória

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais. Funcionou entre março e agosto de 2018. Voltará em novembro.