27/08/2018

A morte e a morte do reitor da UFSC

Dois pesos, duas medidas

Em outubro do ano passado, o então reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier, foi denunciado, sem provas, na Operação Ouvidos Moucos, que investigava o desvio de verbas na instituição. Dezoito dias após ser preso provisoriamente, ter o cabelo raspado, e ser impedido de retornar à universidade, Cancellier se jogou do quinto andar de um shopping. Foi substituído na reitoria pelo professor Ubaldo Cesar Balthazar, e por Áureo Moraes, seu chefe de gabinete. Aqui entra Kafka. Dois meses após a tragédia, o chefe de gabinete deu uma entrevista para a TV universitária. Ao fundo, manifestantes exibiam uma faixa com a frase “As faces do abuso de poder”, ilustrada com fotos da delegada e de outros responsáveis pela Operação Ouvidos Moucos. Pois na semana passada, o Ministério Público Federal de Santa Catarina denunciou ambos – reitor e chefe de gabinete -, cobrando uma indenização de R$ 15 mil por ofenderem a “honra funcional” da delegada da Polícia Federal.

Quer saber mais?
O colunista Elio Gaspari defendeu, em maio, que a PF assumisse o erro cometido

Quer reclamar?
Escreva para o MPF de Santa Catarina
prsc-sac@mpf.mp.br

Quer se mobilizar?
O professor Luis Felipe Miguel, da UNB, fez uma chamada para que as pessoas protestem contra o arbítrio na UFSC

Drible na lei eleitoral

O leitor está lembrado da resolução do Tribunal Superior Eleitoral que obrigou os partidos a reservarem ao menos 30% de suas vagas para candidatas do sexo feminino? Está lembrado, também, que para espanto geral, essa cota foi de fato cumprida – e até ultrapassada? Mas como seguro morreu de velho, o jornal O Globo resolveu ir atrás de algumas dessas candidatas, como uma menina de 18 anos chamada Thamyres Cristina Martinelli, que tenta a vaga de deputada estadual pelo PSD de Maricá. Quando entrevistada, a menina teve dificuldade até de responder a que cargo concorria. Conclusão: os partidos estão recorrendo a “candidaturas-fantasma”, apenas para preencher a cota estabelecida pela Lei Eleitoral.

Quer saber mais?
O TSE está em busca das candidaturas-fantasma

Quer denunciar uma candidatura-fantasma?
Escreva para a ouvidoria do TSE

Uga uga

Toma posse amanhã, como corregedor nacional de Justiça, o ministro do STJ Humberto Martins. O corregedor é o profissional encarregado, dentro do Conselho Nacional de Justiça, de apurar denúncias contra altos funcionários do Judiciário – e eventualmente apresentá-las para julgamento dos conselheiros do CNJ. E por que o MemeNews está noticiando essa troca no comando? Apenas porque o novo corregedor se chama Humberto Martins.

Quer saber mais?
Entenda para que serve a corregedoria nacional de justiça

Saudades do ator global?
Assista a essa compilação romântica de Martins e Viviane Pasmanter

MemeNews é financiado pela Open Society Foundations, por meio de um projeto que pretende unir humor e mudanças sociais. Funcionou entre março e agosto de 2018. Voltará em novembro.